Seis Hacks Cerebrais Para Aprender Qualquer Coisa Mais Rápida

A pesquisa prova que existem maneiras de aprender novas habilidades e conceitos com rapidez e facilidade.

Seja uma nova tecnologia, uma língua estrangeira ou uma habilidade avançada, manter-se competitivo significa aprender coisas novas.

Ser um aprendiz rápido pode lhe dar uma vantagem ainda maior. A ciência prova que existem seis maneiras de aprender e reter algo mais rápido.

1 – Ensine Outra Pessoa (ou simplesmente finja)

Ensinar a alguém a matéria ou a tarefa que você está tentando compreender, pode acelerar o aprendizado e lembrar-se mais, de acordo com um estudo feito na Universidade de Washington em St. Louis.

A expectativa muda sua mentalidade para que você se envolva em abordagens mais eficazes para a aprendizagem do que aqueles que simplesmente aprendem a passar em um teste, de acordo com John Nestojko, pesquisador de pós-doutorado em psicologia e co-autor do estudo.

“Quando os professores se preparam para ensinar, eles tendem a buscar pontos-chave e organizar as informações em uma estrutura coerente”, escreve Nestojko.

“Nossos resultados sugerem que os estudantes também recorrem a esses tipos de estratégias de aprendizado eficazes quando esperam ensinar.”

2 – Aprenda em Breves Intervalos de Tempo

Especialistas do Centro para o Sucesso Acadêmico da Universidade do Estado de Louisiana sugerem dedicar 30 a 50 minutos para aprender uma matéria nova.

“Qualquer coisa menor que 30 não é suficiente, mas qualquer coisa com mais de 50 é informação demais para o seu cérebro absorver de uma só vez”, escreve Ellen Dunn, assistente de pós-graduação em estratégias de aprendizagem.

Quando terminar, faça uma pausa de cinco a 10 minutos antes de iniciar outra sessão.

Sessões breves e freqüentes de aprendizado são muito melhores do que as mais longas e raras.

Ellen Dunn recomenda preparar-se para sessões de micro aprendizagem. “Faça cartões à mão para os conceitos mais difíceis que você está tentando dominar”, diz ela.

3 – Faça Anotações à Mão

Embora seja mais rápido fazer anotações em um notebook, o uso de uma caneta e papel ajudará você a aprender e compreender melhor.

Pesquisadores descobriram que quando os alunos escreviam à mão, eles ouviam mais ativamente e eram capazes de identificar conceitos importantes.

Fazer anotações em um notebook, no entanto, leva à transcrição sem sentido, bem como uma oportunidade de distração, como e-mail.

“Em três estudos, foi descoberto que os alunos que faziam anotações em notebooks tiveram um desempenho pior em questões conceituais do que os alunos que fizeram anotações na mão”.

4 – Use o Poder do Espaçamento Mental

Embora pareça contra-intuitivo, você pode aprender mais rápido quando pratica o aprendizado distribuído ou “espaçamento”.

Em uma entrevista ao The New York Times , Benedict Carey diz que aprender é como regar um gramado.

“Você pode regar um gramado uma vez por semana durante 90 minutos ou três vezes por semana durante 30 minutos”, disse ele. “O intervalo da rega durante a semana irá manter o gramado mais verde ao longo do tempo.”

Para lembrar de uma matéria, Carey disse que é melhor rever as informações de um a dois dias depois de estudá-lo pela primeira vez.

“Uma teoria é que o cérebro realmente presta menos atenção durante intervalos curtos de aprendizagem”, disse ele na entrevista.

“Assim, repetir as informações por um longo intervalo – digamos, alguns dias ou uma semana depois, em vez de em rápida sucessão – envia um sinal mais forte para o cérebro de que ele precisa reter as informações”.

5 – Tire Uma Soneca de Estudo

O tempo de inatividade é importante quando se trata de reter o que você aprende, e conseguir dormir entre as sessões de estudo pode aumentar o seu retorno até seis meses depois, de acordo com uma nova pesquisa publicada na Psychological Science.

Em um experimento realizado na França, os participantes aprenderam a tradução em suaíli para 16 palavras francesas em duas sessões.

Os participantes do grupo “acordar” completaram a primeira sessão de aprendizagem pela manhã e a segunda sessão à noite do mesmo dia, enquanto os participantes do grupo “sono” completaram a primeira sessão à noite, dormiram e depois completaram a segunda sessão na manhã seguinte.

Os participantes que dormiram entre as sessões lembraram cerca de 10 das 16 palavras, em média, enquanto aqueles que não dormiram lembraram apenas cerca de 7,5 palavras.

“Nossos resultados sugerem que o entrelaçamento do sono entre as sessões práticas leva a uma dupla vantagem, reduzindo o tempo gasto reaprendendo e garantindo uma retenção muito melhor a longo prazo do que a prática isolada”, escreve a cientista psicológica Stephanie Mazza, da Universidade de Lyon.

“Pesquisas anteriores sugeriram que dormir depois de aprender é definitivamente uma boa estratégia, mas agora mostramos que dormir entre duas sessões de aprendizado melhora muito essa estratégia.”

6 – Mudança de Habilidades

Ao aprender uma nova habilidade, mudar a forma como você a pratica pode ajudá-lo a dominá-la mais rapidamente, de acordo com um novo estudo da Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins.

Em um experimento, os participantes foram solicitados a aprender uma tarefa baseada em computador.

Aqueles que usaram uma técnica de aprendizado modificada durante a segunda sessão tiveram um desempenho melhor do que aqueles que repetiram o mesmo método.

As descobertas sugerem que a reconsolidação – um processo no qual lembranças existentes são lembradas e modificadas com novos conhecimentos – desempenha um papel fundamental no fortalecimento das habilidades motoras, escreve Pablo A. Celnik, autor sênior do estudo.

“O que descobrimos é que, se você pratica uma versão ligeiramente modificada de uma tarefa que deseja dominar”, ele escreve, “você realmente aprende mais e mais rápido do que se você continuasse praticando exatamente a mesma coisa várias vezes seguidas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *